domingo, 27 de novembro de 2011

A lição das derrotas


Para os bons observadores, a vida é um grande e constante aprendizado.  Ninguém é tão sábio a ponto de não ter nada mais a aprender. E também ninguém deve se sentir tão ignorante a ponto de pensar que nada tem a ensinar. É através dos próprios erros e acertos, bem como da observação dos erros e acertos dos outros, que se conduz com firmeza os próprios passos.

Há um provérbio latino que diz: “errandum discitur”, entendido equivocadamente por muitos como “é errando que se aprende”, quando a tradução deveria ser “errando se aprende”. Aceitar a primeira tradução (é errando que se aprende) seria conformar-se com a necessidade de se errar para aprender e negar a própria capacidade de criação. Seria condicionar a aprendizagem às derrotas, aos erros. Seria aceitar que não se tem capacidade de acertar sem errar primeiro. No dia a dia acontecem mais acertos do que erros. Através dos erros e das derrotas se aprende, mas é através das vitórias que se aprende mais, porque além de ter aprendido o caminho, surgem os fatores motivação e segurança, e aumenta a autoconfiança. Os erros nos ensinam a não repeti-los, mas não ensinam necessariamente o caminho certo.

As derrotas são fracassos somente quando são aceitas como fatos consumados e irreversíveis. Deve-se encará-las como tentativas de acertos que não deram certo. Devem ser um ponto de partida para um acerto, para uma vitória. Em cima das derrotas é possível construir grandes vitórias.

As derrotas, não importa o seu tamanho, a sua dimensão, as circunstâncias como ocorreram, nem o alcance das suas conseqüências, podem se transformar em trampolim para originar saltos distantes, certeiros, seguros. Podem se transformar em alicerces firmes para, sobre eles, edificar-se vidas de sucesso.

Não de deve aceitar a necessidade dos erros, das derrotas. Mas quando acontecem, deve-se identificar a sua origem para se tomar duas atitudes: não repeti-los e traçar caminhos diferentes e seguros.

Fazer das derrotas e dos erros um aprendizado é assegurar-se de não repeti-los e, ainda, estar disposto a enfrentar todos os desafios que a vida apresenta, sem medo de errar, e sem medo de acertar. O foco deve ser sempre o acerto.